Passar para o Conteúdo Principal
Hoje
Máx C
Mín C
siga-nos

2.ª Bienal Jorge Lima Barreto

P1400903 1 720 2500
16 Setembro 2016
Vinhais recebeu nos dias 16 e 17 de setembro, a 2.ª Bienal Jorge Lima Barreto, no Centro Cultural Solar dos Condes de Vinhais.
A homenagem ao músico vinhaense contou com um plano de atividades rico e variado, com início na tarde de sexta-feira, com o filme “B Bird B Boy”, de Ilda Teresa Castro, seguido do lançamento do livro Estética da Comunicação Musical- A Improvisação, que retrata a tese de doutoramento do homenageado. O livro contou com a apresentação do Professor Dr. José Bragança de Miranda, orientador da tese de Lima Barreto, do Dr. Delfim Leão, diretor da Imprensa da Universidade de Coimbra, António Barros, artista contemporâneo e o Dr. Américo Pereira, Presidente da Câmara Municipal de Vinhais. Esta obra é uma coedição da Câmara Municipal de Vinhais e a Imprensa da Universidade de Coimbra.
Para o Autarca Vinhaense, “Trata-se de uma figura ilustre, cuja memória merece ser perpetuada no tempo, e a Câmara tem a obrigação de ajudar nesse trabalho e é isso que estamos a fazer, tudo com vista a prolongar uma homenagem a quem a merece.”
A noite foi abrilhantada pelo concerto de JP Simões, acompanhado pela dança de Isabel Barros e instalação de Ilda Teresa Castro.
No sábado, dia 17, foi apresentado o livro de João Cunha, Sara Carvalho e Verena Mascht, cujo título é “Abordagem Orff-Shulwerk: História, Filosofia e Princípios Pedagógicos”. João Cunha é mais um Vinhaense, dedicado ao estudo da música e com provas dadas neste ramo através dos seus estudos académicos e dos seus livros. A apresentação do livro ficou a cargo de Mário Cardoso, Professor da Escola Superior de Educação de Bragança, Dr. Roberto Afonso, Vereador da Cultura da Câmara Municipal de Vinhais e do autor João Cunha.
Para Roberto Afonso, “Esta Bienal está a permitir dar a conhecer esse grande trabalho do Jorge, não só com ANARBAND, os TELECTU ou os projetos a solo que ele teve, ou o último projeto que ele teve com Jonas Runa, portanto é um evento importantíssimo em termos culturais, não só de Vinhais, julgo que até de Trás-os-Montes, pois vem mostrar que os artistas estão espalhados por todo o lado, nós no interior temos arte de qualidade, arte contemporânea, e temos uma bienal em Vinhais que com certeza vai ser um marco no futuro”
Na mesma tarde, o Professor Doutor Mário Vieira de Carvalho, fez uma apresentação de elevado interesse numa Conferência sobre “Contingência e modernidade musical”.
Para encerrar a Bienal, teve lugar o concerto “Vincos” de Vítor Rua, Carlos Zíngaro, Carlos Barreto, com a Instalação de António Barros.

Estiveram também patentes ao público as exposições:
  • “JLB – Viver com a Música nos Olhos”
  • “Meteoro Neon para Vénus”, de Silvestre Pestana
  • Pintura, de António Palolo
  • Escultura, de João Ferreira
  • “Vórtice Azul” e “Livros Proibidos”, de Celeste Cerqueira
  • “Aura”, de António Barros
  • “Relicários e Oxigenários”, de Ilda Teresa Castro.

imagem

imagem

imagem